A fenda

– Mas você não sente? – ela perguntou, franzindo o rosto inteiro, uma mistura de incredulidade com asco. – Não sinto ou não vejo? Você tinha perguntado se eu via, agora pergunta se eu sinto – ele respondeu sem franzir nada. – Você sente, você vê, você ouve – ela respondeu, acendendo um cigarro. – […]

Dez anos depois

Fazia quase dez anos que não se viam. Encontraram-se por acaso, numa livraria, ele agora de barba, ela agora com o cabelo mais curto. Em vez de comentarem sobre suas vidas, seus empregos, sobre a barba e o cabelo mais curto, decidiram que aquele não seria um reencontro banal, não podia ser um reencontro banal. […]

O delirante ferido

Delirou tanto que se feriu, feriu-se tanto que num canto surgiu a amargura como cicatriz. Nunca havia sonhado com o mundo. Pensava estar sonhando com o mundo, não sabia que não há sonhos com o que nunca se conheceu. Alguns o confundiam com o sonhador, mas ele era o delirante: delirava sobre o inexistente e […]

O que todos querem

O velhinho era o da música de Raul. O velhinho tinha nascido dez mil anos atrás. Diferentemente da música, porém, ele tinha uma certidão de nascimento, num pergaminho de bezerro dado como legítimo por arqueólogos ligados a uma importante universidade: aquela tinta tinha pelo menos dez mil anos de idade, aquele pergaminho tinha pelo menos […]

O colecionador de moedas

Terminou de ler o jornal, levantou-se e foi para o quarto. Era só fazer isso, levantar-se e continuar preenchendo o dia com ações como ir para o quarto, e tomar banho, e se vestir para ir ao trabalho, mas, em cima do criado-mudo, ele viu o envelope com a moeda dentro, o envelope ainda fechado, […]

Extra! Extra! O grande circo bizarro

O apresentador entra no picadeiro. A plateia com os olhos vidrados. É a terceira atração desta noite no tradicional Circo Bizarro. Uma mais impactante do que a outra. O apresentador arma um sorriso e anuncia: – Agora, com vocês, a incrível mulher-objeto! Aplausos. Entra a mulher-objeto, de biquíni, desfilando. O apresentador vai narrando: – São […]

A distração de Pedro

Chamava-se Pedro. Seu corpo era forte, sempre havia sido. Nunca foi criança, nasceu um adulto pequeno, olhos que nunca sorriam, rosto que envelhecia num corpo que esticava e continuava o mesmo. Morava numa cidade pequena, interior de Minas. Sempre levou tudo muito a sério. Os pais, a escola, os deveres de casa, depois o trabalho, […]

O patrão e a empregada

Preciso ficar amigo da minha empregada doméstica, ele decidiu, tenso, depois de ler uma reportagem numa revista semanal. Essa questão já o atormentava havia meses. Os tempos eram outros. Agora, pegava mal ter uma empregada e não ser amigo dela. Aliás, pegava mal ter uma empregada – o certo era ter uma funcionária. Uma ajudante. […]

A senhora, a manteiga e os lenços

– Mocinha! Ei, aqui! Aqui! – Pois não, senhora. Está sentindo alguma dor? – Dor? Não, não. É pior que dor. É a manteiga. – A manteiga? – Sim, a manteiga. Está vendo essa cesta de pães aqui na minha frente? Me aponte a manteiga ao lado dela. Não consegue, não é? Porque não tem […]