Infância

fotoComo o resto do mundo, amo o romance “Desonra”, do Coetzee: não conheço ninguém que tenha lido e não tenha gostado. Mas a página daqui é do meu livro preferido dele, “Infância”.

O livro é uma biografia romanceada (como toda biografia, aliás… Talvez possamos falar em graus de ficção nas biografias, mas nunca chegaremos ao zero) do autor, nascido na África do Sul. Sua narrativa concisa, exata, não tem nem uma gordurinha em nenhuma linha: esse é o estilo característico do autor, ao menos nas obras que li dele. De certo modo, e como é impossível conhecer um autor sem se lembrar de outros, o estilo me lembra um pouco o Hemingway, que domina a arte do romance com texto enxuto.

A sensibilidade de cada trecho consegue caber caber nessa concisão narrativa de maneira impressionante. O cotidiano do garoto observador, filho de um pai problemático e de uma sociedade permeada em todas as instâncias pelo apartheid, deixa saudade quando acaba. Ainda bem: “Infância” é o primeiro volume de uma trilogia, que continua com “Juventude” e “Verão”.

“Infância” é um livro fininho e sensacional que vale a leitura!

Has one comment to “Infância”

Você pode deixar um comentário ou Trackback para esse texto.

  1. Renan Medeiros Costa - 3 de novembro de 2014 at 1:28 Reply

    Ainda não li. 🙁

    Vc falou algo que me chamou a atenção e sempre me irrita. Quando diz que “e como é impossível conhecer um autor sem se lembrar de outros”. Sempre quando algum amigo lê alguma produção e diz “me lembrou fulano e tal” me dá uma raiva. Sim, é bom ter uma obra comparada a grandes nomes da literatura, mas eu queria algo q fosse só meu e não um plágio de estilo. Rsrs

Deixar comentário

Your email address will not be published.