Bons e maus momentos

nostalgic_bike_by_ipawluk-d3f4ueePessoas traumatizadas vira e mexe são revisitadas por um passado que ainda dói. Nem precisa ter sido exatamente um trauma – pode ser nosso sofrimento com o fim de uma relação, a doença de alguém querido que já passou, uma briga que já acabou. Fechamos os olhos e aquilo ainda machuca. Há uma espécie de consenso respeitoso em relação às antigas dores da história de cada um: achamos natural que a dor que se foi ainda seja.

Se é assim, por que fechamos os olhos e não nos sentimos bem ao lembrar dos momentos bons?

Lembro de uma lição de Epicuro: para amenizar momentos dolorosos, nada como se lembrar de alegrias passadas. Mas quantos de nós fazem isso, de fato? A viagem que nos deixou tão alegres, o encontro tão esperado, a notícia que nos encheu de bem-estar: são momentos que já acabaram, foram embora, e, se nos lembramos deles, é provável que acabemos tristes e ansiosos: quero viajar novamente, que saudade do frio da barriga daquele encontro, quando virá outra notícia como aquela?

Difícil uma vida em que os maus momentos ainda ressoam enquanto os bons foram condenados à sua duração, sempre curta e fugaz. Todos nós, mesmo os mais bem-resolvidos em relação à existência, podem sentir no peito a força das dores que já foram, mas não foram de fato. Mas quantos de nós conseguem se alegrar ao se lembrar de velhas notícias boas, de encontros maravilhosos enquanto duraram, ou mesmo daquele dia sem viagens ou encontros, em que simplesmente olhamos o pôr do sol e nos sentimos bem na nossa pele?

Numa tarde de domingo, observando minha filha brincar na piscina, eu me pego pensando: só existe trauma ligado a situações ruins? Não existe um tipo de trauma positivo, alegrias cuja marca ainda fica, fica de verdade?

Talvez seja um exercício alegre esse de revisitar nossos bons momentos do passado. Dizem que a felicidade só existe no momento presente, e é claro que estão certos, mas já que todos nós somos revisitados pelo passado mais vezes do que gostaríamos, então que essas visitas, às vezes, sejam visitas agradáveis, que nos tragam alguma paz.

 

3 comments to “Bons e maus momentos”

Você pode deixar um comentário ou Trackback para esse texto.

  1. Renan Medeiros Costa - 2 de novembro de 2014 at 17:01 Reply

    Eu tenho uma filosofia, todas as coisas ruins possuem uma lição a ser aprendida para o meu desenvolvimento. Quando me vem essas lembranças eu tento refletir sobre, relembrar tudo e me questiono o pq isso me machuca.

    Acredito que entender tudo de fato funciona melhor do que deixar de lado e pensar em outra coisa, afinal, assim sempre deixaremos brechas para que aquela lembrança nos atormente.

    Abraços

Deixar comentário

Your email address will not be published.