Mudança

carol2Lá naquele apartamento, naquela mesma rua de sempre, ela continuava sozinha, mas já não era a mesma.

Percebeu que sua tristeza não lhe causava mais medo, e que a felicidade lá de fora nem sempre a fazia sorrir.

Notou que aquelas sombras na parede eram tão suas como o reflexo luminoso na janela. Aprendeu que se não olhava seus diabos nos olhos, eles abriam a boca para devorá-la.

Decidiu recolher as dores do relento e trazê-las para dentro de casa. Deu de comer às alegrias sinceras e famintas. Decidiu manter os lábios entreabertos para ter sempre um pouco de susto no rosto, agora que não se assustava mais com o susto, agora que abraçava o susto e era abraçada por ele.

Emancipou-se.

 

2 comments to “Mudança”

Você pode deixar um comentário ou Trackback para esse texto.

  1. Daniel Couto Vale - 29 de outubro de 2013 at 11:53 Reply

    Lili, continuo sempre admirado com o seu modo lindo de mostrar a consciência das múltiplas perspectivas e a escolha pessoal e subjetiva da melhor figura e do melhor fundo. Adoro os seus textos! Um fortíssimo abraço!

Deixar comentário

Your email address will not be published.