“Calma, é só uma fase”

drama_queenAlguns anos atrás, eu estava muito, muito ocupada. Sabe quando momentos simples do dia a dia como tomar banho e almoçar precisam ser contados no relógio, senão você não dá conta do resto das tarefas? Pois é. Bom, eu estava lidando com tudo relativamente bem, até que dei uma surtada – leia-se: tive uma crise de choro assim que entrei no carro (aliás, se tem uma coisa que sempre achei fina e cinematográfica é chorar dirigindo. Principalmente se estiver chovendo. Mas voltemos ao assunto). Liguei para uma amiga, e aí ela veio com uma frase incrível, perfeita, mágica: “Calma, é só uma fase”.

Certo, você pode não ter encontrado magia nenhuma na droga da frase (e eu piorei tudo já adiantando a frase no título, mas eu queria dar esse título, fazer o quê). Mas, naquele momento em que tudo à minha volta parecia desmoronar – ok, menos drama –, ter alguém me lembrando de que minha vida não era aquela correria, mas que aquela correria era só um pedacinho dela, foi libertador. Depois daquele dia, tento me lembrar mais disso.

Não sei você, mas eu, às vezes, tendo a achar que o presente pode ser congelado no tempo. Principalmente quando a coisa está muito ruim ou muita boa para o meu lado – nessas horas, minha mente adora me brindar com pensamentos como “olha que maravilha, que simples que as coisas são! Que boba era você quando chorava!” ou “olha que horror, que péssimas que as coisas são! Você nunca conheceu a felicidade!” Bom, falando assim, fica parecendo meio histérico da minha parte, mas o ponto é: às vezes, pode acontecer de a gente viver tão intensamente que se esquece de que o tempo flui e as coisas mudam.

Tenho uma amiga que ama dizer coisas como “eu nunca faria isso que a B. fez comigo”, sendo que, mês passado, ela fez isso, e com a própria B. Essa minha amiga é daquelas que congelam o tempo em intervalos bem curtos: é capaz de dizer que odeia filmes do tipo tal sendo que, dois dias antes, amou um filme assim. Ela vive tanto o presente que nem se lembra de que já fez coisas que não faria agora, que já teve opiniões diferentes e provavelmente terá outras no futuro.

Não que isso seja um problema (apesar de ser chato quando ela é intolerante com a B. como se ela mesma nunca tivesse feito isso, mas beleza), mas o susto é grande quando a gente se toca de que, como Tim Maia bem que tentou avisar, coitado, a vida vem em ondas, como no mar. Como assim, não estou sentindo mais aquilo por ele? Como, eu tinha encontrado a chave da felicidade e agora estou aqui, péssima? E como minha vida era tão legal e agora é só essa correria louca?

Foi só ouvir a palavra “fase” que eu, imersa na correria, consegui ver aquela loucura de fora um pouquinho e lembrar: as coisas não são assim, elas estão assim. No momento, estou numa fase em que correr é necessário – mais que isso: correr é o melhor que posso fazer agora. Depois, passa.

E passou. Já faz um tempo que tenho um dia infinitamente mais calmo que naquela época. Claro, tem hora que me pego pensando: “Como minha vida é tranquila, né? Todo mundo correndo e eu aqui comendo chocolate”. Como se fosse durar para sempre. Não dura. E, sem querer pagar de ponderada, mas pagando, não que isso seja bom nem ruim: é só que não dura. E é bom se lembrar disso de vez em quando.

Liliane Prata é bem esquecida

* Esse meu texto foi publicado na revista Capricho quando eu era colunista de lá

7 comments to ““Calma, é só uma fase””

Você pode deixar um comentário ou Trackback para esse texto.

  1. Luana Furtado - 9 de agosto de 2013 at 17:24 Reply

    Também acho chique e dramática a cena do choro no carro com chuva! Em épocas de TPM eu protagonizo várias! rs..
    Outro dia estava pensando nisso, em como a vida tem fases. E isso me fez pensar na felicidade. Não tem como ser feliz sempre, pelo menos não sempre da mesma maneira. Lembro que um tempo atrás eu me senti plenamente feliz, em tudo! E aí me peguei pensando esses dias “poxa, por que eu não me sinto mais assim?”… é porque aquela fase passou, infelizmente. Mas, felizmente, outras fases vão chegando e outras felicidades, e tristezas também, mas essas eu prefiro esquecer. Só guardo na lembrança as fases felizes! =)

  2. Mandy - 13 de agosto de 2013 at 10:19 Reply

    Eu ri do choro dramático no carro! hahaha texto perfeito!
    Diz muito sobre como eu me sinto nesse momento. Tenho tido medos e inseguranças, achando que a tal “fase” vai durar a vida inteira (dramática como você :P), mas tudo passa.
    O namoro termina e a gente fica achando que a vida acabou, mas depois de alguns meses se dedicando aos projetos pessoais, aproveitando o tempo com os amigos e família, aquele sofrimento todo parece uma grande bobagem, principalmente se conhecemos outro alguém que nos devolve o brilho nos olhos, né. Depois de ler esse texto, vou pensar melhor sobre a minha vida e entender que (quase sempre) vivemos aquilo que devemos viver naquele momento. Que estamos exatamente onde deveríamos estar e passar a cultivar pensamentos mais positivos e leves. Muito obrigada! =)

  3. Priscilla - 13 de agosto de 2013 at 14:29 Reply

    Era justamente isso que eu precisava ler hoje, tão EU!!!!

  4. Andressa - 13 de agosto de 2013 at 16:03 Reply

    Puxa, adorei a reflexão!! Pequenas frases podem ter tantos signifcados pra quem os lê intensamente como você o fez nesse momento, só não vale fazê-lo para as frases negativas, hein!
    Beijos

    • Liliane Prata - 13 de agosto de 2013 at 16:39 Reply

      Obrigada pelo feed back da leitura, meinas! Andressa, sou bem assim mesmo, uma esponja, infelizmente algumas vezes para frases negativas também! 🙂

Deixar comentário

Your email address will not be published.