Livros e paixões

6a0133ecf743e7970b0148c855e49f970c-800wiA escritora Yasmina Reza tem uma frase ótima e triste: “Quando deixamos de ser jovens, trocamos paixão por ponderação”.

Não tenho como discordar. O caminho, ou pelo menos um caminho comum, costuma ser este: vamos domando nossos instintos cada vez mais, até que, de uma criança espontânea, nos transformamos num desses adultos que têm aflição de pisar descalços na grama, comem de três em três horas e pensam se é a melhor época do ano para trocar de carro.

São vários os livros e filmes que tratam, de algum modo, desse nosso bicho interior que vai sendo domado até se encolher sob a pele do perfeito adulto civilizado, que evita tomar chuva, organiza sonhos em metas e procura distrair suas emoções mais indomáveis com músicas frias e chás mornos.

Penso se existe um lugar entre a liberdade irrestrita dos instintos e as lixeiras coloridas de lixo reciclável.

Acredito que sim, que existe, e, por isso, termino a reflexão com outra frase linda, esta de Alberto Manguel:  “A leitura é a mais civilizada das paixões”.

foto3_cortada
Ontem, participei de um debate sobre literatura juvenil no Vira Cultura, evento da livraria Cultura. Foi um prazer falar de leitura e escrita ao lado de gente que entende do assunto: Stella Maris, Tiago de Melo Andrade e Indigo. Num bate papo mediado por Gustavo Ranieri, falamos sobre inspiração, dificuldades do ofício, relação com o leitor, com as novas tecnologias, com o meio que nos cerca. Voltei pensando que leitura e escrita são mesmo duas grandes paixões na minha vida. E que compartilhar isso com quem queira ouvir é maravilhoso. Daí a ideia da introdução deste post. Daí a vontade que me acomete agora, de ler e escrever tudo!

foto2_menor
Na foto acima, na livraria, com meus dois livros lançados este ano pela Planeta: O novo mundo de Muriel e Três Viúvas. Fotos tiradas pela querida Isa Maiolino, do My Kind of Town.

Deixar comentário

Your email address will not be published.