Filosofia: começando a ler

Começar a conhecer um filósofo por meio de um comentador é um método desaconselhável por muitos professores. Afinal, o texto do comentador está todo mergulhado em suas interpretações, e, quando for ler o filósofo propriamente dito, você já vai olhá-lo com o filtro dos outros.

No entanto, alguns textos de filósofos podem assustar quem começa a estudar filosofia. Além disso, para quem está começando, o filósofo pode ficar bem descontextualizado. Algo do tipo: mas por que esse autor está falando sobre essa dicotomia corpo/alma? Quando isso começou? Assim, a pessoa que estava cheia de boa vontade para aprender tem enormes chances de sair frustrada. Isso acontece muito com quem não estuda filosofia formalmente, numa faculdade ou curso livre, mas se interessa em ler os clássicos por conta própria.

Penso que os textos dos bons comentadores acabam funcionando como aulas. Nenhuma aula de filosofia, por melhor que seja, substitui a leitura dos filósofos. Mas, nas aulas, aprendemos sobre o contexto em que aquele filósofo está inserido, temos um panorama da obra daquele filósofo, enfim, temos uma ajuda para lê-lo. Talvez este seja um dos maiores mérito do bom professor de filosofia: ajudar o aluno a conseguir, ele mesmo, ler os autores – em vez de argh, fazer um resumão das obras.

Pensando nisso, resolvi indicar aqui alguns textos de comentadores que me ajudaram MUITO a ler os filósofos. Eles valem por várias e várias excelentes aulas, e certamente facilitarão bastante a leitura do filósofo comentado. Todos os livros abaixo fazem parte da bibliografia indicada por professores do meu curso 😉

  • Introdução à Fenomenologia, do Robert Sokolowski, editora Loyola
    Eu não conseguiria entender muita coisa das Investigações Lógicas, texto bem importante do Husserl, antes de ler esse livro. E olha que eu estava tendo aulas maravilhosas. Mas as investigações são bem difíceis, e essa introdução as deixa MUITO mais palatáveis – principalmente se você tiver disposição para lê-las mais de uma vez, né.
  • Nietzsche – Civilização e Cultura, de Carlos Alberto A.R. de Moura, da Martins Fontes
    O problema do Nietzsche é que ele parece fácil, mas não é. É o que acontece com Rousseau e tantos outros autores, no seguinte sentido: eles têm textos gostosos de ler (não todos), então você acaba lendo como um romance e, no fim, tem um conhecimento meio superficial daquilo. Não é como Husserl, que já mostra de cara que a coisa não é simples 🙂 Esse livro do Carlos Alberto (que me deu as tais aulas maravilhosas de fenomenologia) é simplesmente fantástico. Dá uma visão panorâmica da obra do Nietzsche e te deixa com vontade de ler tudo do filósofo.
  • Compreender Kant
    A Crítica da Razão Pura é um livro denso, mas até gostoso de ler, pelo menos eu acho. Mas  descontextualizado fica meio difícil. Esse livro, do Pascal, faz um resumão da crítica e de outras obras de Kant, e dá o pano de fundo da filosofia dele. É bem mais tranqüilo pegar a crítica depois dele. Mas quem quer começar direto por Kant pode recorrer a uns textos mais tranquilos dele. Um de que gosto muito é Antropologia de um ponto de vista pragmático, da editora Iluminuras.
  • Descartes – A metafísica da modernidade, de Franklin Leopoldo e Silva
    As aulas do Franklin são incríveis, mas não tive Descartes com ele, e sim Kant. Esse livro dele sobre Descartes é muito, muito bom. Por mais que as Meditações sejam uma delícia de ler, se você não lê muita coisa de filosofia e aceita uma sugestão, comece por esse. E, depois, se aventure nas Meditações, no Discurso do Método e tantos outros!
  • Espinosa – uma filosofia da liberdade, de Marilena Chauí, editora Moderna
    Li três vezes no primeiro semestre da faculdade, enquanto lia a Ética e o Tratado da Emenda do Intelecto, ambos de Espinosa. Esse livro da Marilena é bem didático, com direito a um glossário e uma antologia no final, bem legais.
  • Introdução de A República, de Platão, da Martins Fontes
    Foi escrita pelo professor com quem fiz a disciplina de Filosofia Antiga, o Bolzani. A República é maravilhosa de ler, assim como tudo de Platão (na minha opinião, hehe), e essa introdução, que tem umas 50 páginas, é uma ótima… introdução. Dã.
  • Os princípios filosóficos do Direito Político Moderno, de Simone Goyard-Fabre, Martins Fontes
    Livro ótimo para quem se  interessa em estudar filosofia política. Depois da leitura, vai fazer bem mais sentido ler Maquiavel, Hobbes, Locke, Rousseau…

P.S.: não me pergunte por que o último livro ficou torto. Depois de uns quinze minutos, desisti!

17 comments to “Filosofia: começando a ler”

Você pode deixar um comentário ou Trackback para esse texto.

  1. Luis - 15 de julho de 2010 at 11:30 Reply

    Céus! Só pode ser brincadeira!
    Tive prova de economia, ontem. Sobre Marx. Aí, na terça, liguei a Tv, e tinha um cara, na malhação explicando marxismo e materialismo historico e dialético. Ok.
    Segunda, tive prova de Espinosa e Hobbes. Aí, eu entro aqui e leio esse post. tsc tsc. ¬¬
    Sabe o quê?
    Saco cheio de tanta filosofia, na minha vida. Quero mais é férias. ;P

  2. Liliane - 17 de julho de 2010 at 22:00 Reply

    Lili,
    Fazia anos que não te lia, que grata surpresa te reencontrar!
    Perdi o blog de vista em alguma lista de favoritos da vida. Te reencontrei hoje super diferente, textos longos e deliciosos! Amei seu blog “novo”, nem sei há quanto tempo estais com o novo layout e url. Bem o que eu queria dizer mesmo é parabéns! Legal ter uma xará chic e talentosa assim! Posso por teu link, lá no meu blog?
    beijos

    • Lili - 18 de julho de 2010 at 11:23 Reply

      :))
      A idéia acabou sendo msm essa, postar textos mais longos, menos vezes… Isso me animou a continuar! Tem uma hora q blog cansa, né? Claro q pode me linkar, obrigada! Vou lá conhecer seu blog

  3. carlinha abreu - 17 de julho de 2010 at 22:44 Reply

    Legais suas indicações. Nunca li esse do Robert Sokolowski, mas já ouvi boas indicações dele. Tem um muito bom sobre Sartre, que se chama “Sartre: Existencialismo e Liberdade”, de Luiz Damon Moutinho, da editora moderna. Legal para quem quer entender o contexto do existencialismo. Rousseau é gostoso de ler. Platão também, mas a introdução ajuda muito quem está no começo. Mas acho que Convite à Filosofia, da Marilena, é maravilhoso para quem quer ter uma boa base filosófica. E os livros de história da filosofia do Giovanni Reale são muito bons. Agora difícil de ler é Heidegger! Mais do que Husserl. 🙂

    • Lili - 18 de julho de 2010 at 11:25 Reply

      Bom saber desse. A Moderna tem mtos livros ótimos de filo. Li o Convite da Marilena antes de começar a faculdade e gostei. Os do Giovanni Reale já usei, são bons msm. E Heidegger, ainda não li 🙂

  4. adryelle de oliveira - 11 de abril de 2011 at 13:59 Reply

    muito bom seu blog…

  5. ana paula de moraes - 28 de setembro de 2011 at 11:13 Reply

    gostei muito dos seus textos deu para refletir muito parabens!

  6. Isaias - 22 de maio de 2012 at 21:14 Reply

    Parabens, o blog tá legal. Só não entendi a parte que você falou do comentador. Os livros que você indicou, são comentados e o seu professor, por melhor que seja, também é um comentador. Será que estes, são diferente daqueles?

  7. Guilherme Eller - 20 de dezembro de 2012 at 16:32 Reply

    Olá, tenho 15 anos. Comecei a estudar filosofia esse ano, e no início achei um saco… Depois que eu conheci Nietzsche comecei a me interessar por filosofia, me identifiquei muito com ele e decidi estuda-lo pra valer. Espero que o livro que você indicou me ajude a começar.
    Valeu!

  8. Ezequiel Cirne - 8 de janeiro de 2014 at 16:08 Reply

    Excelente, continue postando seus comentários, até por que este seu feito envolve necessariamente uma concepção filosófica da filosofia aos recém chegados a mundo filosófico.

  9. Samuel Alves - 23 de fevereiro de 2014 at 11:45 Reply

    Nossa muito legal seus comentarios. Quero começar a ler sobre filosofia. Sou iniciante messa caminhada. Obrigado.

  10. Samuel Alves - 23 de fevereiro de 2014 at 11:51 Reply

    Posso começar por essas indicações que vc colocou no blog? Ou vc tem outras para iniciniciantes?

    • Liliane Prata - 24 de fevereiro de 2014 at 12:05 Reply

      Penso que sim, Samuel! Tem tb o “Convite à filosofia”, da Marilena Chauí, e o “Filosofia a dois”, da Marcia Tiburi – esse segundo não li, mas dizem que é bom 🙂

  11. Eduardo - 26 de setembro de 2014 at 16:56 Reply

    To muito interessado no Bento de Espinosa nesse momento. Tentei me aproximar da “Ética” mas foi muito intimidador. Vou tentar o livro da Marilena que você falou. Valeu pela dica!

  12. Eduardo Braga - 25 de maio de 2017 at 1:06 Reply

    Vim buscando comentadores de existencialismo (e encontrei nos comentários) e de quebra encontro outras ótimas dicas! Obrigado pelo artigo.

Deixar comentário

Your email address will not be published.