As pessoas que gostam de ficar sozinhas e o mundo

Uns dez anos atrás, um amigo muito querido me disse que eu poderia viver tranquilamente numa caixa.

Estávamos conversando sobre solidão e ele disse que eu parecia gostar mais de viver sozinha do que com os outros. De fato, se penso nos momentos da minha vida em que me sinto mais feliz, mais plena, vou achar muitos instantes solitários. Talvez a maior parte da minha lista de prazeres pertença a esse grupo. Amo dirigir à noite por São Paulo; se tem algo que me deixa feliz é voltar da faculdade dirigindo sozinha e ouvindo música no carro. Me sinto tão bem quando como um doce, trabalho em casa há dois anos e passo o dia todo só e quase sempre me sentindo muito bem. Adoro ficar deitada lendo, amo ficar sozinha em casa escrevendo, vivo indo sozinha ao cinema, a um café.

Por causa da frase do meu amigo, fiquei com essa pulga atrás da orelha: eu, que sempre me considerei sociável, era na verdade uma eremita, para usar a palavra de uma amiga sobre mim? Ou: eu estou mais para gato do que para cachorro, para usar o termo de uma outra amiga?

O que nem eu nem meus amigos tínhamos pensado é que nós, as pessoas que gostam de ficar sozinhas,  nunca estamos sós. Porque, mesmo quando não estamos com os outros, estamos interagindo com o mundo. E é isso que me dá prazer. Dirigir por São Paulo à noite num carro que comprei na concessionária, obedecendo às regras do trânsito, passando pelas pessoas na rua. Comendo um doce que alguém fez, trabalhando em casa usando msn e twitter, ouvindo música que outras pessoas produziram, entrevistando pessoas, lendo livros que outras pessoas escreveram, escrevendo e gostando de ser lida, vendo filmes e tomando cafés que as pessoas fizeram, esbarrando com pessoas na rua.

Mesmo nós, as pessoas que se dão bem com a solidão, estamos com as pessoas o tempo todo, e como isso é bom. Não sei se vocês viram aquele filme Eu sou a Lenda, com o Will Smith. Eu nunca gostei muito de ficção científica, com algumas exceções – a mais notória delas talvez seja O exterminador do Futuro. Mas meu marido veio com esse filme em casa e me pediu para assistir 10 minutos com ele, e acabei não conseguindo parar de ver. Como fiquei impressionada com a terrível solidão do protagonista! Tive pesadelos com aquele filme, que me atrapalhou até a dirigir por um tempo, porque a todo momento eu ficava imaginando zumbis pulando no meu carro, haha.

Mas o que me motivou a escrever este post não foi a lembrança do diálogo com meu amigo, mas a leitura de uma entrevista com um médico que afirmava que há muito mais pessoas em coma e com a consciência funcionando do que a gente pensa. Porque estão estáveis no coma, esses pacientes não são mais submetidos a exames neurológicos – mas vários deles despertaram depois de alguns meses ou anos e estão lá, pensando normalmente, mas fechados em si mesmos, trancados. Num estado ainda mais dramático do que o do protagonista do filme O Escafandro e a Borboleta (história real baseada num editor da Elle francesa, assistiram?), essas pessoas não interagem com o mundo exterior nem com os olhos nem com nada: não enxergam, não se movem, algumas nem ouvem. Só pensam. Por cinco, dez, quinze anos. Imaginem que terrível seria viver assim, com o intelecto absolutamente normal, mas separado da maravilha que é interagir com o mundo?

Meu querido amigo estava completamente enganado sobre mim: eu odiaria viver numa caixa. Eu amo o mundo, e acho que todas as pessoas que gostam de ficar sozinhas também. Quem não amaria?

79 Comentários em “As pessoas que gostam de ficar sozinhas e o mundo”

  1. carla abreu

    primeira vez que venho aqui e tem post ultra fresquinho :) eu também sou assim, isolada, curto minha companhia. {coisa de filósofa?} minha mãe chegou em casa e eu contei a ela que estava dançando ouvindo mpb. e ainda disse: pelo menos eu me divirto comigo mesma. mas a verdade é que tem gente que se sente mal se não estiver numa festa ou com dezenas de pessoas por perto. eu lido bem com a sua solidão porque simplesmente sei do que eu gosto.

    quanto ao filme ‘o escafandro e a borboleta’, nunca consegui assistir, apesar de ter passado várias vezes este ano no cinemax. mas tenho vontade.

    gostei do post :-)

    Responder
  2. Bianca

    Gostei muito do seu post.
    Acredito que também por mais que goste de ficar sozinha em alguns momentos, que como em sua reflexão nos diz totalmente ao contrário, ao mesmo tempo que estamos sós- estamos rodeados de pessoas…( adoreii a reflexão, adoro pensar nisso tb) e é assim a interação do mundo. Por conta de tudo isso eu também não conseguiria viver em uma caixa, mesmo que, as vezes, com a correria do dia dia, esquecemos ou então não reparamos quem está do nosso lado, simplesmente por não ter um contato ou então não conhecer e assim nos encontramos dentro de uma “caixa”.

    Seu post resume-se em uma frase conhecida: “Nenhum homem é uma ilha” John Donne

    Parabéns pelo seu blog.

    Responder
  3. Juliana Lopes

    Me identifico muito com tudo o que você disse! Adoro ir de ônibus pra faculdade, ficar pensando, lendo, estudando em bibliotecas, tudo sozinha e em contato com o mundo. Por mais que gostamos de estar sozinhos por um tempo, o ser humano não é e nem tem como ser uma ilha.

    Parabéns pelo post, Liliane! Muito bom mesmo.

    Ps: eu tenho um blog (www.pessoaesdruxula.blogspot.com), se você tiver tempo, dá uma passada lá, ok?

    Beijos

    Responder
  4. Hannah

    Olá Liliane,bom meu nome é Hannah e sou assinante da Capricho e como boa leitora quando chega a revista vou logo no final pra ver qual seu “Desneurando” da quinzena. Sou apaixonada por seus textos,que além de me identificar com muitos ,eles são descontraídos e interessantes.
    E o mais legal foi que na edição 1100,veio o link de seu blog e já de cara amei,principalmente esse texto acima que por sinal me identifiquei,pois adoro ter meus momentos e sentir o prazer do silêncio!
    Parabéns pelo seu trabalho e que Deus continue te iluminando .
    Beijos,Hannah.

    Responder
  5. Marina Freire

    Adorei o post. Suas reflexões são profundas, mas você sabe conduzi-las muito bem com as palavras. Estou tentando aprender a me expressar assim. Engraçado, minha psicóloga recomendou que eu assistisse a esse filme, O Escafandro e a Borboleta. Agora tenho mais um motivo pra assistir :D

    Responder
  6. Luis

    desde que eu pudesse me comunicar, eu viveria sozinho, de boa.
    aliás, tenho quase certeza de que tô caminhando pra esse fim. ¬¬
    morrerei sozinho, cercado por gatos que me odiarão.

    Responder
  7. Thais Barros

    Sabe,eu nao consegui ler o texto direito porque tinha duas pessoas chatas me atrapalhando aqui…rsrsrs
    Pois é,mas eu queria dizer que gosto muiiiiiito de voce e que acompanhava a sua coluna na revista Capricho.Sempre me sentia melhor depois que lia a Desneurando.
    Voce me mostrou muitas coisas que eu nao conseguia ver e que estavam na minha cara.
    Nao sou boa com palavras,mas queria dizer que gosto de voce como se fossemos amigas de muito tempo!
    Te desejo tuuuudo de bom e muita felicidade.
    Acredite,voce nunca estara sozinha com tantas pessoas(como eu )que te adoram q torcem por voce.

    Responder
  8. Luana Furtado

    Concordo em tudo que você falou!!! Eu também convivo bem com meus momentos de solidão, mas exatamente por estar em contato com o mundo mesmo nessas horas… não conseguiria ficar “presa” dentro de mim, dos meus pensamentos, de uma caixinha… o contato com o mundo é essencial, mesmo na solidão!!!
    Beijos, Lili!!

    Responder
  9. Beatriz

    Brinco com meus amigos que sou misantropa. Ficar sozinha é uma das melhores coisas do mundo.
    A adaptação de O Escafandro e a Borboleta para o cinema é outra delas. Gente, o que é aquela fotografia? Obra de arte pura.

    Responder
    • Lili

      Tb amei o filme. A fotografia é ótima e tb a edição… e o fato de não terem usado a premissa triste para fazer um filme deprimente. Ficou um filme bonito :)

      Responder
  10. Lilian

    Me identifiquei demais com tudo o que você disse. Quando eu era criança sonhava em ser eremita (não me pergunte, Freud explica). Já tinha planejado tudo: seria somente eu, meu aparelho de som e a TV. Até que eu me dei conta que se eu levasse o som e a TV continuaria cercada de pessoas e do produto do seu trabalho de qualquer maneira e desisti da idéia, mas até hoje tenho uma necessidade enorme de pasar um tempo sozinha, de curtir as coisas sem interferência de ninguém. Não que eu seja ou me sinta solitária, só tem coisas que eu gosto de fazer só em companhia de mim mesma. E do mundo.

    Responder
  11. Ana Paula Lou

    Gostei muito desse post Lily! Você me mostrou um outro ângulo sobre a solidão, isto é, essa forma de sempre estarmos interagindo com outras pessoas: “Comendo um doce que alguém fez, trabalhando em casa usando msn e twitter, ouvindo música que outras pessoas produziram, entrevistando pessoas, lendo livros que outras pessoas escreveram, escrevendo e gostando de ser lida, vendo filmes e tomando cafés que as pessoas fizeram, esbarrando com pessoas na rua.”
    Quando eu era mais nova tinha dificuldade de aceitar a solidão, pois, como sempre fui muitoo extrovertida ficar só me soava como um fracasso pessoal.
    Contudo, com o tempo comecei a apreciar muito a minha companhia e hoje muitas vezes tenho dificuldade de abrir mão dela. Esquisito, né?
    Vou ficando por aqui!
    Beijos montes,
    Lou

    Responder
    • Tammy Damasio

      Nunca havia pensando sobre a solidão sobre esse ponto de vista que você colocou. Achei interessante a reflexão de que, de fato, não podemos viver sozinhas, uma vez que somos seres sociais. O próprio SER é um conjunto de vários SERES que se formaram ao longo da nossa vida, porquanto, vivemos, mesmo sozinhas (os) em grupo.

      Responder
  12. Gabriella Mancini

    Oi, Liliane. Beth Ebrose me indicou seus textos, é a primeira vez que entro aqui e me identifiquei muito. Dê uma lida depois no meu blog, pode ser que também se identifique. Por sorte, eu estava buscando justamente bibliografia para estudar filosofia por conta própria. E também gosto, muito, dos momentos que passo sozinha. E escrevi há pouco sobre a dor, com imagem semelhante à usada por vc. Gostei das coincidências. Um abraço, Gabriella

    Responder
  13. uma garota

    tantas coisas iam passando na cabeça conforme ia lendo que – como me é comum – provavlemente metade delas tenham se perdido, mas vamos lá…

    também amo estar sozinha, quando, na verdade me sinto comigo (e, portanto, segundo meu conceito, estou super bem acompanhada). e é esse estar comigo que me permite admirar e curtir todas essas coisas que estão ali do lado de fora de mim por inteiro, em silêncio (relativo, não absoluto obviamente).

    é quando caminho sozinha pelas ruas do bairro às 6h30 e vejo aquelas mesmas pessoas de sempre… é quando (sim, também eu) dirijo à noite pela República do Líbano e abro o vidro perto do parque pra entrar o cheiro das flores… é quando sento tomando um café e observo as pessoas à volta imaginando suas histórias… é quando sento pra escrever um texto fantástico ou simplesmente um post que nunca vou publicar… que me sinto mais plena exatamente por estar mais plena, inteira, intensa ali naquele ato, comigo mesma.

    e a relação com os tantos outros também envolvidos naquele(s) momento(s) existe, sim, sempre. o bom é que podemos interagir ou não, ainda que eles estejam incondicionalmente ali. gosto de poder estar comigo por inteiro e com o outro.

    belíssimo texto e tema delicioso, sobretudo àqueles que gostam de ficar sozinhos e que, sim, amam o mundo e suas coisas e pessoas. =)

    Responder
  14. Debora B

    Lilly,
    Eu defendo que as pessoas vivem E MUITO BEM sozinhas. E como você disse, estamos sempre com interaçao com outras pessoas, o que nao quer dizer que somos soznhos.
    Sozinho que eu digo é SEM TER UM PARCEIRO, mas óbviamente que SEMPRE com amigos, família e as pessoas que amamos por perto.
    Eu defendo que você nao precisa de ninguém para ser feliz. Ninguém que eu digo é um PARCEIRO, e sim somente as pessoas que você ama, as pessoas que trabalham com você, seus amigos, já basta.
    O importante é sentir amor no que faz e nas pessoas ao seu redor.
    Você nao precisa TER ALGUÉM EXCLUSIVO SEU para se sentir bem.
    Eu por exemplo, AMO ficar sozinha porque nao tem ninguém me desviando daquilo que quero fazer, sou livre para ter tudo o que quero, na hora que quero e interagindo quando e com quem eu quero.
    Quando você TEM ALGUÉM, esta pessoa quer saber onde vc vai, fica com insegurança porque você interagiu com uma amigo que ama, sugere fazer coisas que na sua cabeça você já tinha se programado fazer outra coisa. Ahhh, para mim nao dá.
    MIL VEZES ser livre e fazer aquilo que gosto, quando gosto.
    Óbviamente que ter um COMANHEIRO é bom, mas cada um na sua casa, cada um com sua vida, e combinando programas em comum aos finais de semana, quando muito.

    LIBERDADE É TUDO!!!!

    E é neste sentido que eu defendo ESTAR SOZINHA, e nao SER SOZINHA!

    Abraços,

    Debora B.

    Responder
      • Neuza Lima

        Olha eu vivo sozinha e Deus,de principio amava dai fui viajando conhecendo a Europa e fui até ao Japão,só por viver sozinha não sei o que tenho se é normal ou anormal tem dia que estou um amor, nossa tem dia que não falo com pessoa alguma.Tenho um casal de filho e netos,chego a me esconder em casa para não falar com eles, gente isso não é normal a vida de quem vive só, só é bom pra quem tem algum problema mental, tipo eu, é falo sério.Olhe bem eu tenho 57 anos não tenho esposo nem namorado, a solidão está acabando comigo, eu chorro, sem motivo algum,as vezes penso até em morre, e logo me arrependo.Vocês não sabem o que é viver só dentro de uma enorme casa com carro e todo conforto,só que a solidão mata a pessoa mor minutos, eu me vejo uma mulher bonita, normal sim uma mulher normal que vive sozinha sem pensar que a vida é curta e cada dia que passa eu vou acabando a minha vida.Não sei se sou a pessoa correta para dizer a vocês que é bom viver só,só sei que de 55 kg fui para 95 com muitas lágrimas pedindo a alguém me ajudem a emagrecer.

        Responder
  15. Poliana Rodrigues

    Fiquei um tempo sem passar por aqui, mas acabei de perceber que foi uma falta gravíssima, esse post é excelente!!!!
    PARABÉNS!

    Responder
  16. Bruno Feranndes

    Acho que seu amigo confundiu, ficar trancado, com ficar sozinho
    Na verdade, acho que pessoas como nós são observadoras
    Veem o mundo de outra forma

    Responder
  17. Valéria

    Sempre gostei muito de ler desde criança, e sempre leio quase tudo que passa pelas minhas mãos.Folheando uma revista de adolescentes de minha filha lí um texto seu e gostei, e como havia o endereço de seu blog resolví dar uma olhada (adoro fuçar na net).
    Adorei principalmente este texto, também gosto de ficar sozinha para decidir o que ler, ouvir, assistir e nem por isso me isolo das pessoas, ao contrário fico muito feliz de estar com meus amigos prá conversar muito. Aliás o mundo hoje é muito mais divertido do que em meu tempo de adolescente…temos muitas maneiras de interagir! Parabéns!
    Valéria

    Responder
  18. Solidão

    A solidão é tão viciante e atraente que eu não mim imagino em meio uma multidão.
    Acho que eu sim viveria sozinho em uma ilha ou msm igual no filme ”Eu so a lenda”,não tenho a minima vontade de interagir com nimguem nem com nada,gostei do post mais não tem nada a ver com o tipo de solidão que eu gosto \o.

    Responder
  19. Marcos Paulo

    Oi Liliane adorei seu post, sou casado e as vezes minha esposa e filhos nao entendem a minha necessidade de ficar sozinho. E que quando estou sozinho e que consigo estabilizar meu emocional, e nao e so por isso eu amo ficar sozinho mesmo entre as pessoas so observando sem que me notem entende.As vezes eu acho que sou egoista por que pessoas esperam minha companhia e eu neste meu mundo de pensamentos solitarios. Seu texto me ajudou a refletir melhor o assunto que as vezes me incomoda. Um grande abraço!

    Responder
  20. Andrielle Oliveira

    Estava na internet procurando algo sobre “pessoas que gostam de ficar sozinhas”, porque eu sou assim, e muitas vezes me acho e me acham estranha por isso. E é exatamente isso. Sou muito bem sociável, gosto de gente, mas o meu maior prazer diário acontece quando chego em casa e estou sozinha, e posso curtir o meu mundinho… Comer um doce, ler um livro, ver um filme legal… É bem isso aí do texto. Quando posso ficar em casa o dia inteiro, eu realmente fico, sem sentir nenhuma agonia de sair pra ver pelo menos a cara da rua. Isso não quer dizer que eu não sinta um enorme prazer de andar na rua, observando as coisas e as pessoas (mas sozinha). Simplesmente amei o seu texto, e me identifiquei muito também. Legal este ponto de vista, estou, inclusive, aliviada, em saber que há tanta gente como eu! Então, pensei numa coisa: A gente, que gosta de estar sozinho, na verdade não é isso, a gente gosta é de entrar em contato com pessoas que são como nós, mas que, infelizmente não estão por aí, em toda parte, mas que podemos encontrar por meios de livros, músicas, textos eletrônicos, bate papo, etc. Acho que é por aí…

    Responder
  21. Luís Felipe

    Quando estou “só”, na verdade não estou só. Sou eu e eu. E se tem alguém que eu confie muito, esse alguém sou eu. Deu pra entender? Eu não preciso de mais ninguém além dos meus próprios pensamentos. Existem pessoas que têm a necessidade de estarem rodeadas e existem pessoas que precisam escutar apenas a própria voz.

    Responder
  22. Bruno

    eu adoro ficar sozinho de vez em quando da uma paz tão grande em mim que eu não sei te explicar , quando eu tiver meu dinheiro propio vou morar sozinho adoro essa liberdade ,

    Responder
  23. Daniele

    Primeira vez que visito seu blog e já estou impressionada com seus textos ;refleti a todo instante sobre tudo me identintifiquei com vários deles com toda certeza voltarei a lê-los. Dani

    Responder
  24. Rafael

    Me identifiquei para caramba com seu texto.. por que eu gosto muito de estar só.. mais as vezes é por que.. me sinto inferior a todos.. ou não gosto de lugar que tenham algum tipo de drogas licitas. Meus pais fazem muitas festas, convidam a família para aquele churrasco mais eu sempre fico em casa, por que não gosto… Mais isso.. ta me fazendo.. mal. por que.. todos os dias.. eu me sinto mais só.
    Eu tenho 17 anos, todos falam que não é normal um jovem ficar assim.. isolado.. mais eu gosto as vezes.. por que me sinto como o L ( L personagem do anime ” Death Note”). Mais isso que acabei de mencionar é apenas um jeito que eu bolei.. para nunca, cometer alguns erros. que a vida nos trás em ajuda a pensar mais..

    Responder
  25. Flávia Araujo

    Oie, Lili.
    Gostei muito do seu post!
    Não sei. se isto, seria um isolamento.
    Sinto-me muitas vezes sozinha tanto em casa quanto no trabalho. Às vezes não tenho vontade de me interagir com as pessoas do meu trabalho, Na maioria das vezes quero almoçar sozinha.

    Responder
    • josiane batista

      almoço sempre sozinha..e adoro.não tenho nenhuma amiga intima..tenho poucos colegas de trabalho…mas me sinto muito bem…tem horas que fiko um pouco triste por nao ter com quem conversar coisas atoas…meu marido é carreteiro e quase sempre ta na estrada…meus tres filhos ja estao bem independentes e nao maior parte do dia fiki sozinha..e quando tem pessoas comigo eu converso, troco ideias, mas logo tudo me irrita e sem querer dou um jeito de ficar sozinha de novo…antes achava q eu tinha algum oroblema q espantava as pessoas de perto de mim..mas de uns tempos pra cá to percebendo que sou uma aremita mesmo…e prefiro assim..bjin

      Responder
  26. Neuza

    Que maravilha encontrar pessoas que sentem o que eu sinto… tão gostoso entrar em contato consigo mesmo, sentir prazer em observar, sentir a vida pulsar…O livro O despertar da consciência nos ajudar a entrar em contato com esta solidão tão benéfica. Parabéns pelo texto, gostei muito.

    Responder
  27. Elsolaine

    Gosto de estar sozinha.
    Mas gosto de bons filmes,
    Boa leitura,
    Boas músicas .
    Não vejo menhuma doença nesse perfil !

    Responder
  28. Ruy da Silva Castelo

    Fantástica observação. Gostei muito. Acho que quando vc completa-se sem precisar de alguém vc alcançou a solitude. A solidão, no meu entender, é a carência natural pela incessante busca de nossa verdadeira identidade. Acho que aí “reside” alguma coisa sobrehumana que nós, até hoje, não conseguimos decifrar. Tudo prova-me que somos alguma coisa realmente perfeita morando dentro de algo infernal. Ainda estamos aprendendo a dirigir “essa coisa chamada corpo”. “Nascemos já condenados à morte” (Wood Allen), e tudo o que nosso corpo “adora” prejudica ou faz mal à saúde. Paixão é corpo, Amor é espírito. Corpo quer prazer. Espírito quer Paz. Estou tentando terminar um livro que espero que ajude muito o Ser, não a Pessoa.
    Irmã, li um livro que me deu muita luz: O Ser consciente” de Divaldo Pereira Franco, pelo espírito de Joana de Ângelis. Se vc não tiver nenhuma filosofia que impeça sua liberdade de lê-lo, leia-o. Vale à pena.
    Paz e Harmonia a vc e sua família.

    Responder
  29. Celia sena

    Embora adore conversar e interagir com as pessoas, adoro fazer coisas sozinha que em geral as pessoas fazem juntas, tais com ver filmes, caminhar, fazer compras. Geralmente ficar sozinha em casa dar-me muito prazer, ficar num local que ninguém me conhece somente observando as pessoas e o mundo também pra mim é uma ótimo terapia, as vezes quando estou dirigido fico tão distraida que esqueço momentaneamente pra onde vou. Adorei saber que tem muitas pessoas que coartilham deste prazer da própria companhia.

    Responder
  30. Tuca

    Oi Lili…
    prazer em conhecê-la. Li seu texto e todos os comentários. Muito interessante. Tenho certeza agora de que os que adoram estar sozinhos pensavam que só ele ou ela vive bem assim. Ledo engano, pois eu pensava que só comigo era assim…!
    Eu nunca senti solidão, embora desde sempre, ou melhor desde criança adorei estar só comigo. Eu me divertia e ria sozinha até do barulho dos meus passos nas calçadas, desviando-me dos riscos ou estragos causados pelo tempo nas pedrinhas ou no cimento. Me casei, tive 3 fiilhos, me divorciei e agora os filhos se casaram e cada um seguiu seu caminho. Logicamente, que não conseguia viver sozinha do jeito que queria pq minha vida nunca foi uma ilha, muito ao contrário. Mas, lá no fundo, bem escondidinho, estava latente aquela coisa de estar só comigo mesma… curtindo a vida… e eu sempre fui feliz assim, dançando com a vassoura, conversando com o ferro de passar… parando pra cheirar uma flor ou deslumbrando-me com um pássaro… ou com o arranjo de uma bela música e ninguém percebia que eu curtia tanto o estar sozinha, até para curtir mais o todo da vida.
    Mas, agora, que realmente vivo muito bem sozinha, também vivo sendo questionada, cutucada e empurrada para não viver assim do meu jeito.
    Não sei se isso acontece com você e com todos os demais que comentaram seu texto, mas comigo… vivo toreando todo mundo para não se preocuparem com minha vida solitária. Ninguém perto de mim aceita ou consegue entender o quanto me é bom viver assim. Todos acham que estou doente ou que vou ficar doente por viver e trabalhar dentro de minha casa, só com meu cãozinho. Afinal, como você escreveu tão bem… não estamos de fato sozinhos… mesmo que eu viva mais como expectadora do mundo, passeando meus olhos por tudo e todos, sorrindo para uma criança, dando apenas um bom dia para quem por mim passar… dando um alô para conhecidos no msn… pesquisando, lendo, trabalhando, ouvindo músicas, assistindo clips no Youtube…interagindo mesmo que em silêncio com todos no dia a dia, querendo ou não, o nosso sentimento de viver esse lado solitário não diminui, nem ao menos muda porque: como disse uma vez um terapeuta que conheci: “o importante é que você sabe viver sozinha, fazendo e tirando o melhor de si para si e de todas as formas para os outros também.”
    Quem sabe viver sozinho não incomoda ninguém, infelizmente as pessoas se incomodam com esse bem estar dos que não comungam com a necessidade de estar sempre acompanhada ou curtindo com a multidão.
    E você Lili, nos mostrou o outro lado desse estar sozinho, mostrou a beleza e a sanidade desse gostar de estar só e presente no mundo.
    De seu texto eu consegui identificar que, à minha maneira solitária, nunca deixei de interagir com o mundo simplesmente por amor e nunca por necessidade.
    Obrigada pela sua lucidez, e continue nos presenteando com textos como esse.
    Um grande abraço!

    Responder
      • Tuca

        Sabe Lili… eu também adoro escrever e todas as vezes que consigo identificar um sentimento, até para me libertar dele, eu escrevo a respeito.
        Sei que você é respeitada e apreciada no que faz. Então, queria lhe pedir “pedindo”… que um dia publique um texto a respeito desse substantivo feminino “Carência”… pois é um sentimento presente na vida de praticamente todo mundo. E do jeito que você escreve, sei que vai conseguir dar umas pinceladas diferenciadas nesse tema. Assim, todos que vierem a ler poderão extrair matizes diferentes para conviver com esse bicho papão!…
        Num momento de carência o mais eficaz é:
        Um abraço!

        Responder
  31. josue

    nossa amei o post
    eu assim eu gosto muito de ficar sozinho na verdade quando eu estou com muita gente nao me sinto feliz gosto quando estou com uma ou duas no maximo me sinto mal e que as pesoas esquecem uma das outras as veses se afastam pra falar mall eu me quardo muito nao quero me contaminar e neim querer me estresssar perder o que quero muito ter paciencia e dedicacao ao estudos e trabalho ate encontrar alguem que me ame de verdade …. eu tive minha 1ª namorada com 17 anos ele tinha 36 eu amava mais as veses ela falava palavras absurdas e por eu a amar muito ela me pisava e nao dava a minima pro que eu falava………..

    Responder
  32. Eduardo Henrique

    Quando vc falou que nunca estamos sozinhos achei que iria falar das personalidades que temos dentro de nós mesmos.

    Em várias culturas se fala sobre isso, aquela velha história do anjinho e o diabinho na sua cabeça… enfim, a ideia é ter em mente que estamos em um constante diálogo com nós mesmos, então nunca estamos sozinhos, estamos sempre lá… conversando… decidindo… mais uma prova disso é quando vc quer parar com tal habito, mas uma parte de vc não quer parar com isso… eaí? só tem vc aí dentro? heheh

    Me vejo como um eremita, sempre fui assim, sou uma pessoa bem social, até porque sou filho de um político e de uma professora, porém é o meu natural, eu gosto de ficar sozinho ou então com alguém que eu realmente gosto e não preciso ficar me prendendo a falar coisas, posso ser natural… a companhia dessa pessoa não é problema, não sinto necessidade de me retirar nesses momentos. Então acredito que no meu caso o lance não é simplesmente querer ficar sozinho, é porque as pessoas querem que vc seja de tal jeito, esperam de vc tal postura… e isso é cansativo… é preciso ter tempo para ser natural. O silêncio para mim é meditativo, estou sempre pensando no que posso fazer para evoluir como pessoa, em todos os aspectos, conquistar meus objetivos, estar consciente das sementes que estou plantando (porque pra tudo que fazemos tem consequencia), fico consciente da jornada que estou trilhando e onde quero chegar.

    Poderia falar muito sobre isso… porém o que vou fazer é citar Albert Einstein:

    Penso noventa e nove vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio – e eis que a verdade se me revela.

    Quem quiser me adcionar pra bater um papo o email é eduardo_rockstar@hotmail.com

    Responder
  33. monica

    ´´e realmente, não da para se sentir soozinha em meio a tantos comentárioos.
    Curto muito a minha solidão, gosto de ficar em casa lendo, assistindo a um filme.., não sinto melancólica por isso, mas as vezes me preocupo se ha nisso alguma patologia e isso se deve muito a cobrança de todos, aliás o que mais me incomoda é essa cobrança, parece que é imposspivel viver sozinho ou que uma pessoa assim é necessariamente infeliz. Acredito que isso seja devido aos padroes e as” verdades” absolutas, que as pessoas reproduzem sem ao menos se pergutarem os porquês de se viver de determinada forma.

    Responder
  34. Danielly

    Na vida, aprendi a alguns dias que, você tem somente na vida, alguns amigos, aliás, dois amigos (Tirando mãe pai):
    Deus e você MESMO.

    Já sofri muito por amizade, me humilhei para ter aquela amizade de volta, derrabei lágrimas que não era para derramar. E me sinto ótima sozinha, trabalhos escolares por mais difíceis que seja, eu sempre faço sozinha. Eu tenho pavor de ficar rodiada de gente, eu adoro ficar isolada em qualquer canto, lendo um livro de ouvindo música, não há coisa melhor. E por essa decisão que tomei, eu..
    * Nunca sofri mais.
    * Não sofro de amor por ninguém
    * Sou feliz :)
    * E sou uma VENCEDORA!!
    Pois sofri muito na escola, e ainda sofro um pouco, porém sei que um dia isso vai acabar, e isso vai ser um sinal que Deus sempre esteve comigo, e ele vai falar para mim:
    ”Você foi uma vencedora.
    Não tenho dúvida.

    Desculpe gente, estou ouvindo música e me libertando com vocês e estou emocionada de verdade.
    Mas para quem quer saber como eu me sinto, a resposta é simples…
    PERFEITAMENTE BEM!! Abraços e Beijos!!

    Responder
  35. Regina

    Gostei muito do teu texto. Acho que muitas vezes nos sentimos mal por gostarmos de estar sós e apreciarmos momentos só nossos.Mas na verdade são muitos destes momentos que nos fazem sentir bem..

    Responder
  36. Lain Iwakura

    Eu gosto de ficar sozinha.Nao gosto de pessoas,mas gosto do mundo.Geralmente saio bem cedo para caminhar e ver o sol,as arvores,sentir o ar…eh maravilhoso.Mas pessoas eu dispenso totalmente.Devo ter algum transtorno…mas me sinto feliz sendo assim!!!

    Responder
    • Lana

      Como eu concordo com todas estas pessoas que apreciam a solidão! Eu tambem não gosto das pessoas mas gosto do mundo! tal qual assim! Tambem sinto que estou sempre acompanhada de mim própria. é muito bom.

      Responder
    • Andréa

      Concordo com você Manoel, simplesmente ridículo falar que curte ficar sozinha ou que entende de solidão, quando diz que tem um marido.

      Responder
  37. pghcosta

    O que me faz gostar de viver sozinho são as pessoas futeis, chatas e problemáticas. Mas como toda regra a exceção, na dispenso a companhia de pessoas inteligentes, bem humoradas, que possuem um papo enriquecedor.

    Responder
  38. Luciano

    Pesquisei sobre gostar de ficar sozinho, e claro, esse artigo estava na primeira página dos resultados.
    Fiz essa busca por também adorar “ficar só”.
    Penso, que o meu Eu precisa muito de Mim. Isso não quer dizer que estamos só. Mas, que queremos a nossa própria atenção. E, quem melhor do que Nós mesmo, para Nos entender?
    Confuso? Não. Isso é coisa de maluco! Vai entender… O importante, é que somos felizes e encontramos prazer sozinhos.

    Responder
  39. flavio lima

    as vezes sou muito solitário! não é que eu não goste do mundo e das pessoas, só que minha liberdade acontece quando estou trancado no meu quarto… gosto muito de pensar,
    quando ando na rua não encaro as pessoas porque tenho medo.quando vou ao banco ou ao mercado costumo ser o mais calmo, imperceptível e pratico para não demorar.
    sou muito tímido e sou muito seletivo quanto a amigos, só tenho três .
    acho que tenho outro problema.

    Responder
  40. Nathanny

    Post muito bacana!!! Incrível isso tudo, meeesmo. Nunca tive problemas com comunicação e amigos, muito ao contrário sempre tive apreciação e respeito de pessoas maravilhosas. Sem contar que me considero muito extrovertida.. Mas, o fato de ficar sozinha , em interação com o mundo, mas sem interferência direta de outras pessoas é muito prazeroso , energiza-me. Talvez, mais do que o social, não sei. Também não me vejo sem meus raros ,mas intensos contatos sociais. É tudo muito louco. E isso complica mais quando se tem um maravilhoso namorado, que quer compartilhar a vida intensamente ao seu lado. Sacrificar um momento a dois para ficar consigo mesmo, parece, ás vezes , muito injusto. Acho que ter liberdade suficiente para saber conciliar tudo, é a fonte do nosso real prazer. E nos sentimos diferentes por vivermos ao redor de tantas pessoas carentes, que parecem sugar nossas energias…enfim, parece ser tudo uma questão de evolução. Ser feliz é o que interessa. Parabéns pelo Post! Bjs!

    Responder
  41. Saulo

    Muito Legal esse post !! Estava procurando por ” pessoas que preferem viver sozinhas ” , na internet e achei esse post. Estava vendo como algo negativo na minha personalidade, mas agora eu acredito que simplesmente é a forma de algumas pessoas interagirem com o mundo, quando a gente passa a escutar a nossa voz interior a gente deixa de existir para viver , que são duas coisas diferentes, a gente passa a viver com autenticidade, nos questionamos mais sobre a vida … por que estamos aqui ? para onde vamos ? o que queremos ? , e assim a gente pode viver com mais qualidade, sem gastar energia com coisas que não vão nos acrescentar em nada. As pessoas que não conseguem ficar sozinhas são porque tem a angústia de enfrentar o vazio, o desconhecido, que é a nossa alma . Acho que dá pra viver perfeitamente bem assim, só não se fechando no próprio mundo e esquecendo que as outras pessoas também precisam de nós. Eu acho engraçado porque eu gosto muito sabe de ajudar as pessoas, visitar asilos , ouvir uma pessoa que precisa, estar com a minha família , ou com aqueles poucos mas bons amigos, sou muito sociável as vezes também, simpático até demais com alguém com quem eu nem mesmo conheço, mas eu também não abro mão de curtir a minha própria companhia. Cada um encontra a melhor forma de viver. Felicidades pra você e pra todas as pessoas que gostam de estar consigo mesmas !

    Responder
  42. Leninha

    A melhor resposta que encontrei foi a de Manoel, quando diz que parou quando você escreveu “mas meu marido”…
    Simples, só uma linha, mas extremamente profundo.
    Eu também quase paro neste ponto.
    Não é a toa, que ficou impressionada com o filme (o tal que assistiu sobre a solidão e “com” o marido…). Pois ficar sozinha é como entrar na caixa da solidão, e pode ser muito bom quando podemos entrar e sair quando queremos.
    Na verdade a caixa é colocada por você mesma, e notoriamente a assusta. É como brincar de ser cego e demorar na brincadeira…., assusta!
    Você vai desenvolvendo o assunto, falando das maravilhas de estar sozinha, ate que coloca que o motivo principal de escrever o texto, foi saber que mesmo as pessoas muito isoladas, num estado de coma, interage com as pessoas, pois está viva.
    No final, você frisa que odiaria viver na caixa, e que ama muito o mundo, como que pedindo socorro de dentro da caixa em que se colocou e mesmo se justificando de ali estar.
    Desculpe, se parecemos demais céticos, mas para quem conhece a solidão, gostar de brincar de estar sozinha, nos parece perigoso.
    Como Manoel, eu também estremeci no ponto em que mostra não saber o que estar mesmo sozinha. Senti como se estivesse lendo as vantagens da escuridão para cegos, ou do silencio para surdos…

    Responder
  43. Jaqueline

    Poxa!!!! Estou me sentindo aliviada, agora!!
    Quer dizer me sentirei melhor quando minha irmã e o marido mudarem. Rss.
    Comecei a achar que estava com dificuldade de me relacionar, porque quero ficar só na minha casa. Sabe me dou bem com as pessoas, no trabalho , na faculdade, tenho um relacionamento muito estável e agradável. Mas tenho uma necessidade incrível de ficar só, olhar o mundo sem ser vista, observar admirar as coisas. Com tanta gente aqui sinto-me sufocada. Sem espaço. Quero curtir um espaço sozinha em paz. !!!
    Estava em crise, brigando comigo por sentir este desejo, achando que não era uma pessoa normal. Mas pelo que percebi existem muitas pessoas no iguais a mim, que gostam de ficar só, de curtir momentos só. Adoro cozinhar pra mim, ler, ver filme, estudar. Curtir tudo sem interferências. Poxa , como quero ficar sozinha novamente!!!!

    Responder
  44. Camila

    Adorei.
    Mas a sociedade nos faz pensar que somos os estranhos, simplesmente me sinto bem sozinha e gosto de ficar em casa num sábado a noite. Algum problema nisso?

    Responder
  45. Lúcio M,Santos Barreto

    E no final quem diria? Sempre acabamos encontrando pessoas até mesmo do sexo oposto que possuem muitas semelhanças, eu que sempre me considerei uma peça fora do encaixe pelo fato de curtir ficar sozinho, que gosto de caminhar, ouvir musica e assistir um filme sozinho e que nunca imaginei que existiam mulheres que gostam de ficar um tempo sozinhas ou até mesmo de sentarem num local para tomar café em silencio e ficarem observando as pessoas agora sei que existem mulheres que possuem muitas semelhanças e pensamentos como eu …e me sinto feliz ..por saber que existem mulheres que realmente podem e conseguem compreender nosso estilo de vida. E porque nós lobos e lobas solitárias que curtem momentos de solidão não podemos encontrar nas semelhanças um caminho para um relacionamento amoroso? Porque não podemos encontrar as chaves da felicidade? É obvio que podemos. Sabem eu acredito que devido a este nossa lado que apenas os semelhantes compreendem nós não nascemos para viver completamente sozinhos e sim para nos unirmos as pessoas semelhantes.

    Responder
    • laura

      Olá. Acho que é isso mesmo! Falou muito claro. pouco, Parabéns. E votos de … bons momentos a sós e acompanhado.

      Responder
  46. Artur

    Eu acho que é bom, o sentido de liberdade que isso nos dá, não temos que nos preocupar onde ir, com quem ir, ou ir com um (a) amigo (a) sem despertar ciúme em ninguém, que horas chegar, ser ou não ser arrumado, essas coisas. E depois, se quiser viajar, não tem que desistir porque tem de cuidar de criança, de cachorrro, de marido, de mulher, de papagaio… É bom viver assim sim, mas é claro, sem dispensar bons amigos, comunicação, aquele afecto (ou não) da família, etc.. E depois você sempre pode mudar de ideias se encontrar alguém por quem valha a pena deixar de ser eremita!

    Lindo o post..!

    Responder
  47. Eduardo

    Eu acho a maioria das pessoas um saco. O tempo todo falando sem parar, a maior parte das vezes sobre coisas sem sentido para mim.

    Eu não gosto de interagir com pessoas, também vejo amizade como um uma troca mútua de interesses, a partir do momento que uma pessoa não possuí nada que lhe interesse(não só em sentido financeiro, mas também no sentido de idéias e gostos) certamente haverá menos ou nenhum esforço para que um laço seja formado.

    Se você por algum momento deixar de ser ‘compatível’ com uma pessoa e não houver mais interesse em você ela não hesitará em lhe virar as costas cedo ou tarde.

    Já que viemos a este mundo sozinhos e também vamos embora da mesma forma, não depender emocionalmente de outras pessoas deveria ser natural para todos.

    Responder
  48. Marcelo Marques

    Site com excelente conteúdo. Desses que valem a pena…
    Sobre a postagem, acredito que pessoas “solitárias” tem uma maior percepção do mundo e, talvez, uma maior interação com ele do que pessoas que vivem cercadas de outras pessoas diariamente, dividindo-se, compartilhando-se e perdendo suas identidades e desejos próprios. Não! Não sou pessimista, o mundo é que é péssimo (como já dizia o poeta).
    Liliane Prata, parabéns!

    Responder
    • Liliane Prata

      Obrigada, Marcelo! Eu me considero uma realista esperançosa, como já dizia outro poeta. E concordo com vc: acredito que os solitários tendem a ser mais observadores e tendem até mesmo a desenvolver uma maior sensibilidade em relação ao mundo, exatamente por causa dessa observação. Volte sempre!

      Responder
      • paulo

        Na verdade, como li certa vez, a solidão verdadeira é aquela que nos faz sentir que nos distanciamos de nós mesmos, de nossas almas. Ademais, muitas vezes estamos rodeados de pessoas e o sentimento de solidão é elevadíssimo, pois todos estão reunidos falando sobre superficialidades, sem contato real uns com os outros.

        Responder
  49. elis

    Amo ficar sozinha. Ouço a batida do meu coração, coloco minha mente em ordem, me acalmo, não sou chamada atenção, interrompendo minha leitura etc…, não existe cobrança de nada, enfim quando voce sabe trabalhar com a ideia de que as vezes é melhor ficar só do que mal acompanhada. você é feliz.
    O motivo pelo qual a pessoa quer ficar só, não significa que ela que o silencio eterno, existe momentos que precisamos do silencio, da paz, e eu sou assim, não troco um bom programa de TV, um livro que estou lendo, ou fazendo algo que me deleite, para me envolver na multidão, festa, etc… muitas das vezes, estamos cercados de pessoas, e estamos sozinhos. Essa é a minha opinião, é o meu modo de ser. Respeito quem não é assim..Boa tarde.amigos.

    Responder
  50. zeizix

    Gostei do seu post, realmente é meio complicado a forma superficial como a maioria enxerga pessoas assim, eu confesso, que amo uma pessoa, com muitos problemas (que não vem ao caso comentar rs), realmente é estranho quando ela percebe que adoro ficar as vezes apenas comigo e com o ambiente interagindo, tocando uma música num lugar muitas vezes isolado ou no fundo da casa, escrevendo um texto para eu mesmo ler depois, quando prefiro ver aquele filme, sozinho… E não entende, que meus momentos com ela, eu amo demais e são importantes tanto quanto, já faz uns anos e foi a única que consigo não me imaginar longe, mesmo ela sendo formada em psicologia, creio que ela não entende nem sabe direito quem sou em anos, pois acredito, que ela não entendeu que eu sou mais simples do que ela e muitos imaginam, nossa vantagem é “curtir” momentos, achar muito foda fazer uma trilha, uma fogueira e sentir aquela brisa primitiva, ficar tão cansado e aprender como alcançar seus próprios limites e bate-los posteriormente, tentar criar algo novo, engenhoso e não fazer isso para algo academico, não para tirar notas, não para ser reconhecido, tocar aquela música que a maioria acha que não é musica alguma, olhar para as estrelas, enfim, gostar de ficar “sozinho” não significa não ser sociável ou viver numa caixa.

    Responder
  51. Cinthia Santos

    Oiiiii boa tarde a todos ! Bom, como todo mundo, eu também adoro estar sozinha. Agorinha mesmo, estou aqui no aeroporto de Bariloche esperando meu voo de volta pro Brasil, retornando de uma viagem só para a europa, chile e argentina, num total de 56 dias, e me sentindo tristo porque vou voltar pra minha realidade de correria. Do Brasil, a unica coisa que senti falta, foi somente de poder ouvir as pessoas qd conversava com elas, ja q n tava com aceso ao skype. Mas somente disso. Certa vez, uma amiga me denominou de “bicho só”. E fiquei pensando nisso. Ja que moro sozinha, tenho meu carro, qd dá na telha, viajo com elenou por Pernambuco mesmo, sou de Olinda, mas moro em Recife, ou pra qq outro lugar do pais ou do mundo, como agora. E sempre me perguntam, vc vai sozinha? N sei o espanto, ja que pra mim isso eh corriqueiro. Estar sozinha. O que eh diferente de me “sentir sozinha”, que, definitivamente, não eh o meu caso. E assim sigo, indo a praia, a shows, cinema, teatro e tantas coisas sozinha, que pra jim e absolutamente normal. Eu realmente gosto. Porque para mim, não tenho que estar com alguém para aproveitar ou fazet as coisas de que gosto. Simplesmente faço. Se tiver companhianpara isso, ótimo, mas se nao tiver, será tão maravilhoso quanto, porque eu sei como lidar com esse estado sem problema algum, porque, na minha cabeça, não existe problema nenhum , apenas auto afirmação. Evidentemente que chamo as pessloas para sairem comigo, vou a festas, o que adoooooooro e se ninguem estiver dancando jo salão, eu sempre sou a primeira, porque não me importo com o que vão pensar. Estou la para d ancar e vou. Estando ou nao acompanhada. E isso nao eh ser egoísta ou antisocial, e apenas reconhecer em si mesmo um mundo de possibilidades, ao inves de despejar jos outros esta responsabilidade. Assim sou eu, mas nao sou bicho só, porque estou muito bem acompanhada sempre! Bjo a todos. Cinthia, Recife-Pe

    Responder
  52. laura

    Olá . Tenho 62 anos, vivo sozinha há 20, por opção, e viajo sempre só – agora de novo pelo Brasil – e não quero outra vida. A maior parte das pessoas é tagarela, exige muita atenção e toma o poder sobre nós. E a vida é tão curta para disperdiçar…
    Abraço a todos. E fujam de quem vos rouba o tempo e a alegria de viver com as tristes vidas que escolheu e que não quer mudar.

    Responder

Deixe um comentário

  • (will not be published)

XHTML: Você pode usar as seguintes tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>