Queixos, amigos e natureza

Uma amiga minha disse ontem que vai “colocar um queixo novo” na sexta-feira. Foi a primeira vez que ouvi essa expressão, colocar um queixo, e confesso que estranhei um pouco. Estávamos almoçando e ela emendou que, aos 40 anos, espera não ter mais quase nada de natural no corpo. Estranhei mais ainda. Essa minha amiga é bem tranqüila e discreta, sabe? Ela não me parece o tipo de pessoa que passa a vida numa mesa de cirurgia. Talvez se ela fosse a médica, mas não a pessoa deitada na mesa! Enfim. Daí eu disse:

Eu: como assim, espera não ter quase mais nada de natural? O queixo é só o começo, é isso?
Ela: na verdade, faz alguns anos que comecei um projeto de intervenções artificiais no meu corpo.
Eu: !
Ela: pra que ficar natural, me diga? Hoje em dia, é tão fácil mudar!

Daí, calmamente, pedi que ela listasse o que já mudou, porque eu nunca tinha reparado. É aí que entra o problema. Porque, ouvindo a lista dela, percebi que estávamos usando a palavra “natural” de um jeito muito diferente.

Item 1 da lista dela: queixo. Na sexta-feira. Ok.
Item 2: peito. Ela já mudou, e eu nem sabia. Ok também: definitivamente, é uma cirurgia.
Item 3: sobrancelha.

Eu: sobrancelha?
Ela: é, eu pinço a minha.
Eu: ah, mas pinçar, todo mundo pinça.
Ela: mas é natural? Não. Ou sua pinça é feita de flores? Mesmo que fosse: ela ALTERA a natureza da sua sobrancelha.

E ela continuou: cera para depilação (“Os pêlos, sim, são naturais”, ela disse). Escova progressiva no cabelo. Xampus, condicionadores e máscaras de tratamento. Maquiagem. Clareamento nos dentes e, segundo a linha de raciocínio dela, até a própria pasta de dente. E por aí foi.

Aprendi esta semana, mais uma vez, que é importante definir bem o que você entende por determinadas palavras antes de usá-las.

E que meu corpo é menos natural do que eu pensava, claro.

2 comments to “Queixos, amigos e natureza”

Você pode deixar um comentário ou Trackback para esse texto.

  1. fabrício - 21 de março de 2010 at 21:17 Reply

    Nossa, primeira vez que entro aqui, te conhecí há anos atrás e vi seu blog por pura coincidência..rs.. Mas, a ler o post fiquei a pensar: Ou eu sou doido ou sua amiga é doida…kkk…. Mas, como ser normal já não é mais ser natural, então, vou acabar no pensamento que o doido sou eu..rs…

    bjos linda, se cuida

  2. Juliana - 22 de março de 2010 at 23:15 Reply

    Vi pelo twitter e resolvi dar uma olhada! Vou voltar sempre! Simples na medida certa, sincera como sempre! Conheci seu trabalho pela capricho e desde quando era leitura assídua da revista já me identiquei com suas palavras.
    Obrigada por compartilhar suas verdades com todos! Beijos

Deixar comentário

Your email address will not be published.