Quatro aprendizados complexos

Uma vez, li numa reportagem que, quando temos medo de não conseguir alguma coisa, é legal pensarmos em algo difícil que conquistamos – tínhamos sérias dúvidas sobre a nossa capacidade de alcançar algo, mas, pimba, alcançamos.

Eu poderia falar de coisas mais recentes aqui, mas não adianta. Assim que li a matéria, só consegui pensar em quatro coisas que eu tinha certeza que não conseguiria. E, hoje, sem querer ser chata nem nada, eu domino essas quatro coisas. Vamos a elas…

…. decorar o alfabeto
Quando eu tinha seis anos, aprendi a ler. Beleza. Mas, nos últimos dias do ano letivo, minha professora falou que, agora que já tínhamos aprendido as letras, tínhamos que decorar a ordem delas. E começou: “A, b, c, d…”. Lembro direitinho do meu desespero. Pensei que a professora estava louca e que era simplesmente impossível decorar aquilo. A maior decepção do dia foi quando perguntei ao meu irmão, quatro anos mais velho que eu, se ele sabia o alfabeto de cor, e ele fez “pfff” e começou a falar: “a, b, c, d, e, f, g…”. Pedante.

… amarrar o cadarço
Fui uma das últimas da classe a aprender. Meu pai me ensinava mil vezes, mas eu me lembro direitinho que parecia ser absolutamente impossível. Ficava irritada e chorava. Se você quisesse abalar minha auto-estima e me humilhar profundamente há 22 anos, era só amarrar o cadarço do seu tênis na minha frente.

… distinguir direita e esquerda
Eu tinha sete anos quando a professora ensinou isso. Numa posição específica, eu dominava onde era direita e onde era esquerda. Mas era só mudar de posição que meu mundo caía. Quando cheguei em casa chorando, desesperada, minha mãe disse: “Bobinha, direita é tudo o que está ao lado da mão que você usa para escrever.” Amo minha mãe.

… aprender a tabuada
Principalmente a do 8 e a do 9. Eu ficava bem impaciente quando errava, tive medo de repetir de ano e achava que aquilo era uma das maiores dificuldades da Terra.

Hoje, para o bem da minha auto-estima e da minha confiança nos atuais e futuros desafios da vida, sei essas quatro coisas muito bem.

Claro, não gosto de calcular quanto cada um paga no restaurante, ainda mais se tiver tabuada o 8 e do 9 na conta, mas, tirando isso…

Deixar comentário

Your email address will not be published.