Sobre vegetarianismo e soja

A Gi, que trabalha comigo, é vegetariana. Fui almoçar com ela hoje e:
Eu: Olha que legal, hoje tem estrogonofe de soja!
Gi: Blergh! Você gosta?
Eu: Hum? Não, eu não gosto, mas você não é vegetariana? Você não idolatra soja?
Gi: Eu sou vegetariana, sim, mas odeio soja.
Eu: Que estranho… enfim, pelo menos a salada tá ótima, tem rúcula…
Gi: Odeio rúcula.

Bom, descobri que a Gi se alimenta de luz e faz parte da facção mais restrita de vegetarianismo que já vi na vida, mas aproveito o assunto para fazer um parênteses sobre essa enxurrada de soja na nossa vida.

Sobre a enxurrada de soja na nossa vida

Não sei de onde tiraram a idéia de que tudo pode ser produzido à base de soja. Sucos. Chocolates. Iogurte. Outro dia vi até suco de soja sabor melancia! Além da velha carne de soja, claro, que foi o começo de tudo: alguém um dia pensou “vou fazer um bloco de soja prensada e moída e batizar de ‘carne de soja’”. Sem querer ser mal-humorada nem nada, pra mim é bem simples: carne é carne. Implica um animal morto, doa a quem doer. Soja é outra coisa. E digo mais: aposto que tem alguma explicação por trás dessa onipresença da soja.
Minha teoria da conspiração é que está havendo uma crise mundial de superprodução de soja e, para os produtores não quebrarem, nos venderam a idéia de que soja faz muito bem ao nosso organismo e deve estar presente no nosso cardápio, o máximo que der. Mas soja nem é nutritiva. Soja é um isopor marrom prensado, praticamente.
E ela não só no nosso cardápio, mas começou a invadir a prateleira dos nossos banheiros: parece que estão vendendo a idéia de que soja deixa as madeixas mais brilhantes e, outro dia, vi um xampu com soja na fórmula.

Mas nada ganha do suco de soja sabor melancia. De maçã eu posso até aceitar, apesar de achar estranho, mas de melancia? Ah, não. Eu sempre considerei o suco de melancia uma bebida inusitada e bizarra, e agora estão fazendo com soja? Já passou dos limites.

Deixar comentário

Your email address will not be published.