Os sisos – o retorno

Prólogo
Como vocês sabem, há uns dois meses eu passei pelo difícil momento de ir ao dentista tirar dois sisos. Eu pensei que nunca mais fosse voltar aqui pra falar sobre esse assunto novamente (tenho outros dois sisos para tirar, mas não são aqueles, são outros, então a história não vai ser outra) (sim, estou me enganando), mas qual não foi a minha surpresa quando, no réveillon, eu senti uma pontinha no lugar do siso que eu tinha tirado e concluí que a dentista tinha esquecido um pedaço do dente lá.
A primeira pessoa a tomar conhecimento do fato foi meu namorado, que gentilmente me avisou que eu estava ficando louca e acrescentou: “Você quer jogar Banco Imobiliário?”. Alguns dias depois, já de volta a São Paulo, ligo para o meu irmão, que, não tão gentilmente, concorda com ele. Todo esse ceticismo à minha volta, somado ao meu histórico de hipocondríaca, contribuía para que eu deixasse o assunto pra lá, mas, como eu cismei que minha dentista tinha esquecido o tal pedaço do dente e essa idéia era extremamente desconfortável, marquei uma consulta para esta semana. Mais precisamente, pra hoje.

A Consulta

Cheguei ao consultório e:
Dra. Débora: Oi, Liliane! Quanto tempo. E então, o que te trouxe aqui?
Eu (com cara de mal-numorada e de quem pegou chuva pra ir ao consultório e de quem acha que a boca abriga um siso remanescente): Olá… Bom, acho que ainda tem um pedaço do siso que você tirou na minha boca…
Dra.: !
Eu: Sei lá, posso estar enganada, né. Mas achei melhor vir.
Dra: Abre a boca.
Eu: Aaaahh.
Dra: Dói quando aperto aqu…
Eu: AAAAAIIII!
Dra. É um ossinho. Vamos ter que raspar. (para a ajudante). Eunice, pega a lima de raspar osso, por favor?
Entrei em pânico. Se tem uma coisa que estraga meu dia é ouvir “Pega a lima de raspar osso”.

Eu: Dra Débora, só achei melhor vir pra você ver o que era, mas o osso não está incomodando nada, a gente pode deixar assim e…
Dra Débora: A gente tem que tirar o osso, Liliane. Abre a boca.
Eu: Ai. AAAi. Ai.

Horas depois:
Dra: Pronto! Olha como foi rápido!

Uma coisa que me intriga é o conceito de “rápido” para os dentistas. Outra coisa que vem me intrigando desde a consulta: preciso tirar os outros dois sisos. Alguém já deixou de tirar dois sisos? O que acontece?

Deixar comentário

Your email address will not be published.