Sobre jornalismo e pactos

Prólogo

Quem escolhe jornalismo no vestibular sabe que vai ouvir dos familiares e amigos a seguinte frase: “Você vai fazer jornalismo? Pra quê, pra passar fome?”. Por isso, quando nós estávamos na faculdade, eu e minha amiga Fernanda morríamos de medo de não ter o que comer um dia. Realmente, a gente escolheu um curso que não dá dinheiro (se você excluir o William Bonner, o Roberto Civita e outras pessoas assim que atrapalham essas estatísticas). Para piorar ainda mais as coisas, nem jornalista a gente tinha muita vontade de ser: eu queria ser escritora e ela queria seguir uma carreira mais corporativa, tipo ser gerente de alguma empresa. Ou seja: tudo conspirava para o fato de que passaríamos não só fome como sede, frio, etc.

Naquela época de incertezas, fizemos o que chamamos de Pacto dos Biscoitinhos, que consistia no seguinte: se ela passasse fome, eu daria biscoitos a ela. Se eu passasse fome, ela me daria biscoitinhos. Se nós duas passássemos fome, nós iríamos, juntas, pedir biscoitos para nossos amigos e familiares. De preferência, recheados.

O pacto nos tranqüilizou bastante e concluímos felizes nossos cursos. Eu sigo hoje a carreira de jornalista e escritora e a Fê, a carreira corporativa. Para nossa felicidade, nossa dieta não consiste em apenas biscoitos, mas também chocolate, balas e até mesmo alimentos como arroz, feijão, carne, etc. E o melhor: os biscoitos que consumimos são comprados por nós mesmas.

Bom. Hoje, pelo MSN, a Fê me conta que seu mais novo medo é não ter onde morar um dia. Ela mora com os pais e não sabe o que acontecerá quando (bate na madeira!) não puder mais contar com eles. Eu moro de aluguel há séculos, numa cidade a 600 quilômetros dos meus pais. O que faremos se não tivermos mais onde morar? O quê? O quê?

Foi por isso que acabamos de instituir o…

… pacto do quarto de empregada

Se a Fê não tiver onde morar, ela morará na minha casa, no quarto de empregada. Mesma coisa, caso eu não tenha onde morar. Se nós duas não tivermos onde morar, iremos para o quarto de empregada de alguém. Mas deixemos claro: não somos boas pra fazer faxina. Na verdade, somos bagunceiras. Mas lavamos copos, cozinhamos e ajudamos a fazer a lista de compras!

Que incluirá, naturalmente, biscoitinhos.

Deixar comentário

Your email address will not be published.