Sobre hóspedes: tipos e categorias

Tipo um: Uma Hóspede Perfeita
Semana retrasada, recebi na minha casa a Diorela, uma amiga de Belo Horizonte, e descobri que, além de ótima amiga, ela é uma hóspede exemplar. Ela cumpriu todo o protocolo que hóspedes exemplares cumprem:
Categoria Agradando a Anfitriã
A Di me trouxe uma caixa de bombons da Lalka, que é uma marca de chocolates lá de BH que eu adoro, e o pai dela me mandou de presente um livro! Perfeito.
Categoria Sorrindo e Concordando com a Programação Sugerida pela Anfitriã
Para sexta à noite, propus um bar aqui em SP (o Teta, na Cardeal) com mais uma amiga. Para o sábado de manhã, café da manhã na Bella Paulista, exposição do Volpi no Mam, almoço na Liberdade e festa à noite. A Di sorriu, me acompanhou em todos os lugares, me deu uma aula de arte na exposição (ela tem pós em História da Arte, olhem que perfeito), dançou na festa, etc. Superagradável!
Categoria Não Deixando a Casa mais Caótica do que já é
A Di estendeu as toalhas dela, fez a cama (ok, o sofá, que foi onde ela dormiu) e ainda melhorou a dinâmica da casa reabastecendo meu estoque de iogurtes. Para completar, ela dormiu no mesmo horário que eu todos os dias. Di, volte sempre!
Tipo dois: Dois hóspedes do barulho
(Me inspirei na Sessão da Tarde para o nome dos tipos! Gostaram?)

Esta semana recebi dois grandes amigos, o Edu e o Jonas. Adoro os dois por vários motivos, menos pelo jeito hóspede deles de ser.
Categoria Agradando a Anfitriã
Pela primeira vez na vida, eles me trouxeram alguma coisa: vários alfajores da Argentina, de onde eles estavam chegando. Não sei como não chorei de emoção.
Categoria Sorrindo e Concordando com a Programação Sugerida pela Anfitriã
Levei os dois para um restaurante que eu adoro, o La Tartine. Eles não só reclamaram do preço e das opções do cardápio como passaram no Habib´s depois. Sem contar o bizarro diálogo pré-restaurante:
Eles: Lili, vamos levar um amigo nosso para jantar com a gente, ele é travesti, tá?
Eu: Tá, ué.
Eles: Mas a questão é: ele pode ir MONTADO?
Eu: Hã? Sei lá! Como eu vou saber?
Eles: Lili, nesse restaurante que você quer ir, dá pra travesti ir montado?
Eu: Gente, na boa, vocês não querem perguntar nada do tipo: Lili, lá tem uma salada gostosa?
Essa foi a única vez que os dois saíram comigo. Não concordaram com mais nada da programação e sumiram por São Paulo voltando para minha casa de madrugada.
Categoria Não Deixando a Casa mais Caótica do que já é
Fizeram ligações para a Argentina, de onde eles estavam chegando, sem se preocupar com a conta; sujaram os pratos e não lavaram; não levantaram a tampa do vaso para fazer xixi; não arrumaram a cama, tomaram todos os iogurtes, comeram metade da caixa de bombons que a Diorela tinha me dado, espalharam toalhas molhadas pela casa e por aí vai.
Mas verdade seja dita: rimos muito, todos os dias, até umas três da manhã.
Adoro meus hóspedes.

Deixar comentário

Your email address will not be published.