Cinco fases da pessoa perdida no trânsito

Me perdi ontem à noite, quando voltava do trabalho. Eu estava dirigindo para casa – sim, para casa. Mas, como eu me perco com freqüência quando dirijo, já estou na quinta fase da pessoa perdida no trânsito, dentre as…
… cinco fases da pessoa perdida no trânito

Primeira fase
É quando a pessoa se perde pela primeira, segunda ou terceira vez. Então ela (ou “eu”, se você não se identifica com isso) começa a se ofender, dizendo coisas como “sua idiota” e dirigindo freneticamente. A pessoa então liga do celular para uma amiga, o namorado etc e ainda pára e pede informação a algum (ns) transeunte (s).

Segunda fase
Aqui a pessoa (eu), depois de já ter se perdido algumas vezes na vida, ainda se desespera e ainda se chama de “sua idiota”, mas pelo menos já sabe que é melhor pedir informações a taxistas em vez de transeuntes – e, se ainda usa o celular para receber informações, já o faz meio constrangida.

Terceira fase
Habituando-se com a idéia de se perder com freqüência, a pessoa muda o “sua idiota” para “de novo”, “só você, mesmo” ou similares. Mais calma, a pessoa não cogita pegar o celular. Ela ainda recorre ao taxista, mas começa a se interessar pelas placas.

Quarta fase
Tranqüila, a pessoa se contenta com um “que droga, queria ir para casa” ou um “estou tão cansada”. Esquece os taxistas, transeuntes e similares e se guia pelas placas, mas não muito segura. No caso de a pessoa acabar se perdendo mais ainda, a ponto de ela não reconhecer sua cidade, ela se altera, xinga as placas e pára num posto de gasolina.

Quinta fase
Só para perdidos experientes. Sem celular, sem taxistas, sem transeuntes, sem postos de gasolina. A pessoa permanece tranqüila e pensa “hum, estou precisando cortar o cabelo” ou mesmo um “não posso esquecer que depois de amanhã tenho reunião”. Enquanto isso, ela ouve música e se guia pelas placas.

Deixar comentário

Your email address will not be published.